site de poesias coligidas de
F E R N A N D O   P E S S O A
http://www.fpessoa.com.ar

<<Voltar-Volver>>


(Nunca sei como é que se pode achar um poente triste.)
Nunca sei como é que se pode achar um poente triste.
Só se é por um poente não ter uma madrugada.
Mas se ele é um poente, como é que ele havia de ser uma madrugada?
Nunca sé como es que se puede hallar un poniente triste.
Sólo si es por un poniente no tener una madrugada.
Pero si él es un poniente, ¿cómo es que él había de ser una madrugada?
Poemas Inconjuntos
Alberto Caeiro
8-11-1915

©2004-12-05 by Sebastián Santisi, all rights reserved.


<<Voltar-Volver>>


la-nutria.com.ar