site de poesias coligidas de
F E R N A N D O   P E S S O A
http://www.fpessoa.com.ar

<<Voltar-Volver>>


Cai Chuva Do Céu Cinzento
Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento
Tem chuva nele a escorrer.

Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.

Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não,
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.
Cae lluvia del cielo ceniciento
Que no tiene razón de ser.
Hasta mi pensamiento
Tiene lluvia en él escurriendo.

Tengo una gran tristeza
Acrecentada a la que siento.
Quiero decírmela mas pesa
Como conmigo lo miento.

Porque verdaderamente
No sé si estoy triste o no,
Y la lluvia cae levemente
(Porque Verlaine lo consiente)
Dentro de mi corazón.
Poesias Inéditas
Fernando Pessoa

©2005-05-24 by Sebastián Santisi, all rights reserved.


<<Voltar-Volver>>


www.fpessoa.com.ar